Orientações e dicas

17/06/2016

Como escolher um cirurgião vascular?

Como escolher um cirurgião vascular?

Uma cirurgia, qualquer uma que seja, envolve muitos cuidados. E não é só o cirurgião vascular que precisa estar atento a eles. Na verdade, o médico é uma etapa do processo, que começa quando você percebe que tem algo errado com a sua saúde e escolhe um médico para ajudar a encontrar a causa e a solução do problema.

Para encontrar um médico quando precisam, normalmente as pessoas:

* buscam a indicação de algum familiar, amigo ou conhecido;

* fazem uma busca na internet pela especialidade que acreditam ser aquela que trata o seu problema.

Diz-se que o boca a boca é a alma do negócio. Assim, quando é uma indicação, há uma tendência em confiar mais no profissional. E esse não deixa de ser um bom recurso para escolher um cirurgião vascular. Só não pode ser o único.

Critérios para escolher um cirurgião vascular

Antes de agendar a consulta com o médico recomendado ou localizado por acaso na internet, é importante verificar se ele é Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). Essa informação geralmente consta no currículo do médico. Também pode ser facilmente localizada no site da entidade.

Um cirurgião vascular membro da SBACV é uma segurança para o paciente. Significa que o profissional passou por um rigoroso treinamento em cirurgia vascular, teve acesso à formação certificada e rigorosa e está habilitado para realizar todo tipo de cirurgia vascular.

Sempre veja a formação de quem cuidará da sua saúde. O profissional habilitado para o tratamento de doenças vasculares periféricas, dentre elas as varizes, são os angiologistas e cirurgiões vasculares.

Todo médico, sem exceção, deve ter o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Estado da Federação em que atua e do Conselho Federal de Medicina (CFM). Ou seja, se o cirurgião vascular atende em Brasília (DF) deve possuir o registro profissional do CRM/DF. Já para verificar o registro do profissional no CFM, basta acessar a busca por médico, disponível na página do Conselho na internet.

Algumas informações são essenciais

O paciente não pode ter dúvidas quanto ao cirurgião vascular escolhido para assisti-lo. Deve conhecê-lo para estabelecer uma relação de confiança com o profissional que cuidará da sua saúde. É para isso que serve a consulta: criar a empatia com o médico. O bom relacionamento é crucial para o sucesso do tratamento.

Para que um entenda a necessidade do outro é preciso dialogar. Não há mal nenhum em o paciente questionar o médico sobre todas as dúvidas que possui. O profissional existe para orientar sobre o diagnóstico e possibilidades de tratamento. A conversa é um termômetro que pode ser usado para medir a disposição do médico em conceder todas as informações que são pertinentes aos olhos do paciente e uma ferramenta de observação que contribui para a decisão referente à confirmação da escolha do profissional.

Saber onde e como são feitos os procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos também é fundamental. Alguns tratamentos requerem a realização de cirurgia e isso exige instalações hospitalares com estrutura e segurança adequadas ao atendimento médico de alta complexidade.

O resultado satisfatório de um tratamento de saúde está diretamente relacionado à habilitação e qualificação do cirurgião vascular, mas também é responsabilidade do paciente que, exceto no caso de haver falta de opção, é quem, por fim, escolhe o profissional que acredita que lhe prestará a melhor assistência. Por isso, ter cautela nunca é demais.

< Voltar

Você pode se interessar também por: