Orientações e dicas

25/05/2017

Tratamento para trombose venosa profunda: tudo o que é preciso saber

Tratamento para trombose venosa profunda: tudo o que é preciso saber

O tratamento para trombose venosa profunda (TVP) deve iniciar assim que a condição for diagnosticada. Mas como é possível saber se você tem a doença?

A trombose venosa profunda é, muitas vezes, assintomática. Em alguns casos, pode causar dor e inchaço nas pernas, indícios também associados à presença de varizes.

As varizes, aliás, são um fator de risco para o surgimento da TVP, pois fazem o sangue circular de forma mais lenta nos vasos sanguíneos dilatados. Permanecer sentado durante muito tempo é outra circunstância que propicia o desenvolvimento da trombose venosa profunda, assim como:

  • já ter tido a doença ou uma trombose venosa superficial;
  • estar acima dos 40 anos;
  • já ter feito qualquer cirurgia;
  • ter sofrido alguma lesão grave;
  • repousar ou ficar imóvel por tempo prolongado;
  • ser hipertenso;
  • já ter sofrido algum Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou infarto;
  • ter insuficiência cardíaca congestiva;
  • ter insuficiência respiratória crônica;
  • estar com sobrepeso;
  • não praticar qualquer atividade física;
  • fumar;
  • estar com altos níveis de estrogênio no organismo, como durante a gravidez ou o uso de pílulas anticoncepcionais;
  • desenvolver alguns tipos de câncer.

Além disso, em pessoas com trombose venosa profunda, a tendência é de que o sangue coagule rapidamente. Essa condição, em alguns casos, é hereditária.

A formação de um coágulo em uma veia é a principal característica da doença. Também conhecido como trombo, esse coágulo pode obstruir um vaso parcial ou totalmente. Em alguns casos, ele pode deslocar-se do local de origem, ser transportado pela corrente sanguínea até o pulmão e causar embolia pulmonar. Outra complicação grave que pode ocorrer é a síndrome pós-trombótica.

Como é o tratamento para trombose venosa profunda

A melhor maneira de prevenir as complicações causadas pela condição é realizando o tratamento para trombose venosa profunda com anticoagulantes.

É muito comum as pessoas acreditarem que esse tipo de remédio seja capaz de desfazer o trombo. Na verdade, o próprio organismo o elimina. A função do anticoagulante é evitar a formação de um novo coágulo e o aumento de tamanho do que já existe.

A terapia pode ser feita tanto com medicamentos injetáveis quanto orais. Dependendo do fármaco usado, em forma de injeção, a aplicação só pode ser feita no hospital. Já para os de uso oral, não há restrições. No entanto, isso não significa que o cuidado é menor.

Muito pelo contrário. O controle deve ser rígido. Em determinados intervalos de tempo, o paciente precisa realizar exames de sangue, sem contar que também deve cuidar da alimentação. Alguns nutrientes podem influenciar a ação do remédio.

O período de tratamento da doença é variável. Dura, no mínimo, três meses, mas pode ser necessário continuá-lo pelo resto da vida, conforme o caso. Em qualquer uma das situações, o acompanhamento médico é indispensável. Seguir todas as orientações do cirurgião vascular, também. Caso contrário, o paciente corre o risco de reincidência da trombose venosa profunda ou, mais grave ainda, ter um sangramento interno (por exemplo, um Acidente Vascular Cerebral – AVC).

O uso de uma meia elástica deve ser associado à utilização dos medicamentos. O acessório colabora para a diminuição do inchaço e com o retorno venoso. Outras recomendações são evitar permanecer em pé durante longos períodos e erguer as pernas, sempre que possível, para ajudar o sangue a retornar ao coração.

< Voltar

WhatsApp