Procedimentos e exames

Escleroterapia de varizes com espuma densa, guiada por ultrassom

A escleroterapia com espuma densa é um procedimento relativamente recente. A técnica vem ganhando espaço em clínicas vasculares por sua eficácia em eliminar a necessidade de intervenção cirúrgica nos tratamentos de varizes.

E, por falar em varizes, estas são veias dilatadas e deformadas que resultam de problemas circulatórios, podendo causar dor, queimação, sensação de peso e inchaço.

O que é escleroterapia com espuma densa, guiada por ultrassom?

A escleroterapia com espuma densa, guiada por ultrassom, é um dos tratamentos que existe para varizes, sobretudo para as mais grossas. Antes, as veias calibrosas só poderiam ser eliminadas com uma cirurgia convencional.

Além de ser menos complexa do que um procedimento cirúrgico, a escleroterapia com espuma densa é um dos tratamentos mais eficientes para varizes, já que a ação da espuma elimina as veias dilatadas e devolve às pernas o aspecto anterior ao aparecimento do problema.

Como o procedimento é realizado?

O processo é simples. O cirurgião vascular utiliza o ultrassom para localizar com precisão a veia a ser tratada e, com o uso de uma seringa, aplica um medicamento que forma uma espuma, após ser agitado. O equipamento também permite ao profissional acompanhar o que acontece no interior da veia, durante a aplicação da espuma.

Dentro do organismo, a substância se expande e adere às paredes do vaso sanguíneo doente, ocupando o espaço do sangue acumulado e “irritando” a veia. Ou seja, provocando uma inflamação. A ausência de sangue torna a veia inoperante e ela seca, com o passar do tempo.

A substância mais utilizada na escleroterapia com espuma densa, guiada por ultrassom, é o polidocanol, que tem maior aceitação pelo organismo e baixo índice de reações adversas.

A aplicação das injeções é feita em mais de uma sessão, para evitar complicações e para que o agente esclerosante seja bem aceito pelo organismo. O número de sessões necessárias varia de acordo com cada caso, e é definida pelo cirurgião vascular na consulta que antecede o tratamento.

Todas as etapas podem ser realizadas no próprio consultório do médico. O procedimento dispensa internação e anestesia.

Para quem o procedimento é indicado?

A escleroterapia com espuma densa é indicada para tratar varizes mais grossas, que não costumam responder bem a um tratamento clínico. Portanto, a técnica é indicada para pacientes que possuem varizes em estágio mais avançado, ou que já apresentaram varizes grossas logo no começo do problema.

Em muitos casos, o tratamento é indicado pelo médico como alternativa à cirurgia. Principalmente para pessoas que não podem ou não querem realizar uma intervenção cirúrgica para remover as veias comprometidas.

Cuidados pós-escleroterapia com espuma densa

Após realizar a escleroterapia de varizes com espuma densa, o paciente já pode caminhar e não precisa fazer repouso. Tem, apenas, de usar uma meia elástica durante 15 dias e ficar atento às reações na pele. O órgão pode ficar escuro próximo à região tratada. Em três meses, essas manchas devem desaparecer. Mas há casos em que é necessário um dermatologista para prescrever um tratamento capaz de clarear a pele, novamente.

A importância do cirurgião vascular

Devido aos riscos envolvidos, o tratamento para varizes com escleroterapia com espuma densa, guiada por ultrassom, deve ser realizado somente por um cirurgião vascular experiente. E somente após uma avaliação criteriosa da saúde do paciente.

< Voltar

Material escrito por:
Cirurgião vascular - CRM/DF 10.711
Publicado em

Formado em medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Título de especialista em Cirurgia Geral – Ministério da Educação (MEC). Título de especialista em Cirurgia Vascular – Ministério da Educação (MEC). Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e...