Orientações e dicas

26/06/2017

Guia das 4 doenças que mais afetam o sistema circulatório

Guia das 4 doenças que mais afetam o sistema circulatório

Entre as doenças que mais afetam o sistema circulatório, as varizes estão no topo da lista. A estimativa é de que a cada dez pessoas, sete apresentem o problema. Quando não são tratadas e o quadro se agrava, as varizes podem provocar o surgimento de outras condições que também prejudicam os vasos, como úlceras e tromboses venosas.

Dificilmente, as doenças que mais afetam o sistema circulatório desenvolvem-se do nada. Antes de efetivamente se instalarem, o corpo pode dar alguns sinais de que algo pode estar danificando os vasos. Os mais comuns são a sensação de pernas cansadas, coceira, tornozelos inchados ao fim do dia e dor.

Estar atento aos sintomas é a melhor forma de detectar qualquer uma das doenças que mais afetam o sistema circulatório a tempo de neutralizá-las, a partir da adoção de medidas preventivas. É mais fácil saber como agir tendo à mão as orientações certas para reconhecê-las e evitá-las.

Doenças que mais afetam o sistema circulatório

1. Varizes

O que são

As varizes surgem quando as veias, responsáveis por conduzir o sangue de volta ao coração, sofrem danos nas válvulas que têm como função impedir o sangue de circular em sentido contrário. Sem o trabalho dessas válvulas, o sangue se acumula dentro das veias, ocasionando a dilatação e desencadeando os sintomas.

Principais sinais de alerta

Sensação de peso nas pernas, queimação, formigamentos, inchaço persistente nos tornozelos e pés, cãibras noturnas, coceira e alterações na sensibilidade da pele.

Dicas de prevenção

Evitar permanecer muito tempo em pé ou sentado, elevar os membros inferiores sempre que possível e praticar exercícios regularmente são algumas formas de prevenir as varizes. Grávidas podem usar meias elásticas durante a gestação, conforme orientação do cirurgião vascular.

2. Úlceras venosas

O que são

Geralmente, as úlceras venosas são uma consequência grave da insuficiência venosa crônica. Elas se formam quando os vasos que nutrem a pele estão danificados e não conseguem controlar o refluxo do sangue, que, ao invés de retornar para o coração, faz o caminho inverso, acumulando-se na veia com problemas nas válvulas.

Principais sinais de alerta

Dor, cansaço, sensação de peso nos membros inferiores, inchaço e coceira nos locais em que a pele está inflamada são alguns dos sintomas notados em pessoas que possuem úlceras varicosas.

Dicas de prevenção

O sedentarismo e os longos períodos em pé são fatores que propiciam o surgimento de úlceras varicosas. Portanto, para preveni-las, é preciso exercitar-se e movimentar-se com certa frequência durante o dia. Elevar as pernas nos momentos de repouso também ajuda a evitar a doença.

3. Trombose venosa

O que é

A trombose venosa profunda (TVP) é causada pela formação de um coágulo sanguíneo, também chamado de trombo, no interior de uma veia. Os vasos mais comumente acometidos são os dos membros inferiores. De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, em cerca de 90% dos casos os coágulos afetam as pernas.

Principais sinais de alerta

A trombose, na maioria das vezes, é assintomática. Mas, em alguns casos, pode provocar dores, rigidez na musculatura das pernas e inchaço.

Dicas de prevenção

Sempre que houver suspeita de que alguma condição pode estar comprometendo o bom funcionamento do organismo, o mais indicado é ir ao médico para investigar o que está acontecendo. Além dessa medida de prevenção, é recomendado, também, praticar exercícios físicos, não fumar, evitar o estresse e a ingestão de alimentos com gordura animal.

4. Tromboflebite

O que é

A tromboflebite ocorre quando há inflamação em uma veia (flebite) e, associada a ela, acontece a formação de um coágulo sanguíneo no mesmo vaso. As pernas, comumentemente, são os membros com maior propensão ao desenvolvimento da condição, mas outras partes também podem ser prejudicadas pela doença, como os braços e o abdômen.

Principais sinais de alerta

Vermelhidão, inchaço e calor na área da veia, dor e desconforto no local afetado, descoloração ou ulceração da pele sobre a veia profunda e febre.

Dicas de prevenção

A tromboflebite pode ser evitada com a prática de uma atividade física, o controle do peso e da pressão arterial, e uma dieta saudável. Não fumar também é uma maneira de prevenir-se contra a doença.

< Voltar