Orientações e dicas

04/02/2017

O que uma pessoa que toma anticoagulante não pode fazer

O que uma pessoa que toma anticoagulante não pode fazer

Os medicamentos anticoagulantes são prescritos pelos cirurgiões vasculares para evitar a formação de coágulos no sangue. O remédio é indicado, principalmente, para pessoas com trombose venosa, arritmia no coração ou que já tiveram um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Utilizá-lo requer uma série de cuidados. Entre o que uma pessoa que toma anticoagulante não pode fazer está ingerir alimentos que contenham vitamina K, pois o nutriente interfere no funcionamento de certos remédios.

Saiba tudo o que uma pessoa que toma anticoagulante não pode fazer

É por esse e outros motivos que o uso do anticoagulante precisa ser rigorosamente controlado. Para começar, a anticoagulação do sangue deve ser constante e adequadamente monitorada devido aos efeitos do medicamento. Às vezes, é preciso fazer ajustes na dosagem, caso o cirurgião vascular considere necessário e de acordo com o que informar o exame realizado para determinar a tendência de coagulação do sangue.

Em pessoas que não realizam o controle correto, as principais reações ao uso de anticoagulante possíveis de ocorrer são as hemorragias e necroses na pele. Portanto, o que uma pessoa que toma anticoagulante não pode fazer, sob hipótese alguma, é deixar de lado o acompanhamento médico. Também é importante que:

  • evite se machucar (exposição a atividades de risco);
  • escove os dentes com cuidado;
  • avise ao dentista que faz uso de anticoagulante;
  • tome as doses sempre no mesmo horário;
  • jamais interrompa o tratamento sem antes consultar o cirurgião vascular.

Como a alimentação influencia no tratamento com anticoagulante

Há três formas de administrar os anticoagulantes: intravenosa (feita somente em pacientes internados), subcutânea e oral. O medicamento oral é o que exige maior atenção quanto à alimentação, pois os alimentos ricos em vitamina K (espinafre, couve, alface, repolho, brócolis, couve-flor, trigo e aveia, banana, abacate, kiwi, leite, laticínios, ovos, soja, óleo de oliva, salsa, nabo e fígado) podem reduzir a ação do anticoagulante. Isso não significa que eles devam ser retirados da dieta. Quer dizer, apenas, que é importante cuidar para que o consumo do nutriente ocorra de maneira inalterada, ou seja, que não diminua nem aumente em função do tratamento. Atualmente existem no mercado os chamados “NOAC”, ou seja, novos anticoagulantes orais, que não precisam do controle com a alimentação, pois a vitamina K não interfere no seu mecanismo de ação.

Os anticoagulantes diminuem as chances de morte e previnem as sequelas que podem ser ocasionadas por episódios de trombose e embolia, influenciando positivamente na qualidade de vida dos pacientes. Usá-los de acordo com a orientação médica, evitando o que uma pessoa que toma anticoagulante não pode fazer, é  o que garante uma vida sem grandes riscos.

< Voltar

WhatsApp