Orientações e dicas

01/08/2016

Trombose venosa e trombose arterial: principais diferenças

Trombose venosa e trombose arterial: principais diferenças

Veias, artérias e coração são suscetíveis a muitas doenças. Duas delas são a trombose venosa e trombose arterial. Ambas são causadas por um coágulo de sangue que pode bloquear um vaso sanguíneo em parte ou totalmente.

A trombose venosa e trombose arterial

O coágulo que provoca as tromboses se forma quando o fluxo do sangue é mais lento do que deveria ou quando acontece uma coagulação desnecessária no organismo. E pode surgir em qualquer vaso sanguíneo. Quando a coagulação do sangue ocorre na veia, dá origem à Trombose Venosa Profunda (TVP). Quando surge na artéria, suscita a trombose arterial.

Trombose venosa

Também conhecida como flebite ou tromboflebite profunda, em 90% dos casos a TVP aparece em função da formação de um coágulo de sangue na veia da perna, segundo os dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV).

Pessoas com idade avançada, anormalidade genética do sistema de coagulação, usam anticoncepcionais, realizam tratamento hormonal, fumam, têm varizes, insuficiência cardíaca, tumores malignos, obesidade ou familiares com trombose venosa são as que correm maior risco de desenvolver a doença.

Outras situações associadas à TVP são:

  • cirurgias de médio e grande portes;
  • infecções graves;
  • traumatismo;
  • a fase final da gestação;
  • o puerpério (pós-parto);
  • qualquer outra situação que obrigue a uma imobilização prolongada (paralisias, infarto agudo do miocárdio, viagens aéreas longas, etc).

É preciso ter muito cuidado, pois a trombose venosa pode causar embolia pulmonar e morte na fase aguda. Na fase crônica, os principais problemas são originados pela inflamação da parede das veias e o funcionamento deficiente dos vasos.

O diagnóstico clínico da TVP é difícil, pois a doença é, muitas vezes, assintomática. O tratamento é feito com substâncias que impedem a formação do coágulo e a evolução da trombose ou o destroem.

Trombose arterial

A trombose arterial é mais difícil de tratar. Há casos que somente a cirurgia convencional ou endovascular consegue solucionar.

Idosos, fumantes e diabéticos fazem parte da parcela da população com maior risco de desenvolver a doença.

A trombose arterial provoca a falta de sangue nos tecidos, pois são as artérias as responsáveis por levar o fluido até eles para oxigená-los, irrigá-los e alimentá-los. Quando há um coágulo impedindo a passagem do líquido, aparece a dor intensa, a pele fica branca e a mão, gelada, nos casos em que a trombose arterial é em um dos membros superiores.

A consequência de uma trombose arterial não tratada é, em alguns casos, a gangrena dos tecidos e até a amputação do membro. Acidentes Vasculares Cerebrais (AVCs) e infartos agudos do miocárdio podem ser resultantes de tromboses arteriais no cérebro e no coração, por exemplo.

O que protege o organismo das tromboses são a prática de atividades físicas regulares, o uso de meias de compressão durante viagens muito longas, o controle da diabetes e da pressão alta, e as consultas periódicas ao cirurgião vascular para avaliação do estado geral de saúde. O médico é sempre a melhor pessoa para cuidar da nossa saúde, depois de nós mesmos.

< Voltar

Você pode se interessar também por: