Orientações e dicas

13/12/2016

Dor abdominal pode ser sinal de varizes pélvicas

Dor abdominal pode ser sinal de varizes pélvicas

Comuns nas pernas, as varizes também podem surgir na região pélvica e causar dor abdominal, além de dor durante e após a relação sexual. Quando a sensação na parte inferior do abdome é muito forte e frequente, é chamada de dor abdominal crônica.

Assim como nas pernas, as varizes pélvicas são veias dilatadas, porém localizadas dentro do abdome, próximas ao útero, ovários e bexiga. O problema surge principalmente em mulheres na faixa dos 30 anos e, provavelmente, é influenciado pela produção do estradiol, um hormônio feminino que provoca a dilatação das veias dos ovários e do útero.

Em algumas mulheres, a grande quantidade de varizes pélvicas pode desencadear uma doença conhecida como Síndrome da Congestão Pélvica, que dificulta o retorno do sangue para o coração e é responsável pela dor abdominal crônica.

O que desencadeia a dor abdominal crônica

O que gera o mau funcionamento das veias situadas na pelve é a mesma disfunção que afeta os vasos das pernas: as válvulas que fazem parte da estrutura das veias, responsáveis pelo controle do fluxo do sangue, não conseguem fazê-lo corretamente devido a uma insuficiência que causa o descontrole da circulação sanguínea e resulta no acúmulo de sangue, aumento da pressão venosa e dilatação da veia. A dor abdominal crônica é um sintoma consequente de todo esse processo.

Outras sensações que podem acender o sinal de alerta para a possível existência de varizes pélvicas são incontinência urinária, aumento do fluxo menstrual e aparecimento de varizes na vulva, vagina, glúteos e pernas. Sentir dor durante a relação sexual, principalmente quando a penetração ocorre de maneira mais profunda, é outro sintoma comumente sentido pelas mulheres.

Ao observar que detém alguma das sensações relatadas acima, a mulher deve procurar um médico de confiança para investigar o que pode a estar causando. É possível que o cirurgião vascular recomende a realização de alguns exames de imagem para confirmar o diagnóstico e definir o tratamento.

As varizes pélvicas podem ser tratadas com medicamentos ou cirurgia e requerem a atenção do ginecologista e do cirurgião vascular. As queixas geralmente levam as mulheres a consultar-se, primeiro, com o médico especialista em ginecologia e, por recomendação deste, a consulta seguinte é com o médico com qualificação em cirurgia vascular, nos casos em que os remédios não estão surtindo os efeitos que deveriam na resolução dos sintomas das varizes pélvicas.

Apesar de ser uma cirurgia, a operação das varizes pélvicas é um procedimento minimamente invasivo, ou seja, são realizadas somente as incisões realmente necessárias para alcançar e tratar as veias dilatadas, o que torna a recuperação mais rápida. A anestesia é local e o tempo médio do procedimento é de duas horas. A paciente normalmente retorna para casa no mesmo dia.

< Voltar

Você pode se interessar também por: