Orientações e dicas

06/08/2018

Fatores de risco para o acidente vascular cerebral

Fatores de risco para o acidente vascular cerebral

O acidente vascular cerebral (AVC) é caracterizado por um déficit neurológico súbito, causado pelo desequilíbrio relacionado aos vasos sanguíneos do sistema nervoso central. Por isso, para evitar a ocorrência de um AVC, é importante estar atento aos fatores de risco que o problema apresenta.

Fatores de risco do Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Conhecer os fatores de risco de alguma doença é uma maneira de preveni-la, pois diminui a probabilidade de seu surgimento. Dessa forma, em relação ao AVC, é também fundamental controlar os fatores de risco para aumentar o tempo e a qualidade de vida do indivíduo. São eles:

Uso de anticoncepcional

O uso das pílulas anticoncepcionais podem favorecer o surgimento de um AVC, principalmente se este for feito por mulheres fumantes e que já possuam quadros de enxaqueca e hipertensão arterial.

Doenças do coração

As cardiopatias, principalmente as que ocasionam arritmias cardíacas, responsáveis por desregular os batimentos cardíacos, aumentam as chances do AVC. Isso se dá pelo fato das arritmias provocarem uma corrente sanguínea irregular, o que facilita a formação de coágulos sanguíneos dentro do coração, que podem chegar pela circulação dos vasos cerebrais, levando ao acidente vascular cerebral. Algumas dessas doenças são:

 

  • infarto;
  • doença nas válvulas do coração;
  • fibrilação atrial;
  • cardiopatia chagásica (Doença de Chagas).

Histórico de doença vascular prévia

O fato de já ter passado por um quadro de AVC, assim como uma ameaça de derrame aumentam a probabilidade de ter um AVC. O infarto no coração e a doença vascular obstrutiva periférica, caracterizada pelo estreitamento das artérias que irrigam as pernas, diminuindo o fluxo sanguíneo, também elevam o risco.

Sexo e Idade

Muito embora seja possível ter um AVC em qualquer momento da vida, a incidência é aumentada à medida em que a idade aumenta. Homens e pessoas de pele negra também despontam uma maior tendência ao AVC.

Hipertensão arterial

A pressão arterial elevada (quando ultrapassa “12 por 8”) tende a lesionar os vasos sanguíneos do cérebro e pode desencadear um AVC mais facilmente. Dessa forma, recomenda-se que as pessoas que se encontrem no quadro de pressão alta consultem um médico e iniciem um tratamento adequado. Assim, é possível reduzir tanto as chances de ter um AVC, quanto de passar por um ataque cardíaco.

Diabetes

O excesso de açúcar no sangue é um fator de risco para o AVC. Por isso, pessoas que possuem a doença devem recorrer ao tratamento adequado para manter o nível de glicose no sangue mais próximo do normal. Também é importante que os pacientes diabéticos cuidem dos níveis de pressão arterial.

Colesterol alto

O excesso de gordura no sangue, principalmente o colesterol, desencadeia a formação de placas nas paredes das artérias. Dessa forma, as extremidades tornam-se mais estreitas e o fluxo sanguíneo é reduzido, o que aumenta as chances de um AVC. É possível diminuir esse risco alterando à dieta, diminuindo o consumo de gordura animal.

Obesidade

A obesidade ou sobrepeso devem ser controlados pela associação direta à diabetes, hipertensão, colesterol alto e sedentarismo. Controlar o peso e manter uma vida ativa, guiada por um cardápio saudável, diminuem os riscos de desenvolver um AVC.

Sedentarismo

A prática regular de exercícios físicos diminui os riscos de um AVC. Isso pois o sedentarismo desencadeia o aumento de peso, a hipertensão, diabetes e colesterol no sangue – fatores de risco para o acidente vascular cerebral.

Tabagismo

O ato de fumar aumenta os riscos para o AVC. As substâncias químicas presentes na fumaça do cigarro percorrem os pulmões e chegam até a corrente sanguínea, circulando pelo corpo todo e afetando todas as células e alterando o sistema circulatório.

Drogas e Álcool

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas aumentam a incidência de um AVC. Além de associar-se à hipertensão e níveis inadequados de colesterol na corrente sanguínea. O uso de cocaína e crack também lesionam as artérias e sugerem picos hipertensivos, aumentando as chances de AVC.

Como são seus hábito diários? Com pequenas mudanças você pode ganhar qualidade de vida e prevenir doenças que poderão favorecer o AVC. Se você já apresenta algum fator de risco citado, não esqueça de realizar check-ups rotineiros para monitorar sua saúde.

 

< Voltar

Você pode se interessar também por:

WhatsApp