Orientações e dicas

Por: - Cirurgião vascular - CRM/DF 13.263
Publicado em 19/11/2019 - Atualizado 21/11/2019

Principais sintomas e causas das varizes pélvicas

Principais sintomas e causas das varizes pélvicas

As varizes dos membros inferiores são bastante comuns na população brasileira, mas você sabia que as veias varicosas também podem aparecer na região da pelve? Estamos falando das varizes pélvicas, uma condição que pode afetar até 30% das mulheres, segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV).

Ouça este conteúdo: 

 

Na anatomia feminina, as chamadas veias gonadais ou ovarianas – localizadas no útero e plexo uterino – desempenham um importante papel para a drenagem do sangue venoso presente na pelve. Quando a circulação sanguínea no local é comprometida, o sangue não consegue retornar para o coração, o que pode resultar nas varizes pélvicas.

Se você nunca ouviu falar sobre o assunto, não se preocupe. Neste artigo, você confere tudo o que precisa saber sobre esse tipo de varizes. Acompanhe!

O que são varizes pélvicas?

As varizes pélvicas são veias dilatadas e tortuosas que surgem na região da pelve, principalmente ao redor dos órgãos femininos, como útero, trompa e ovário. O problema é mais comum em pacientes do sexo feminino, mas o público masculino também pode apresentar varizes na região pélvica, sendo que, nesse caso, a condição é chamada de varicocele.

Quais são as causas?

A principal causa das varizes pélvicas está associada à gravidez. A explicação é simples: durante a gestação, as veias da região pélvica tendem a se alargar para permitir o correto desenvolvimento do feto. Em alguns casos, as veias não retornam para o tamanho normal após o parto, o que resulta na formação das varizes pélvicas. Além disso, os hormônios produzidos na gravidez também colaboram para dilatar as veias das gestantes.

Apesar de essa ser a causa mais comum, o histórico familiar da doença também pode ser responsável pelo aparecimento de varizes na região pélvica, mesmo em mulheres que nunca engravidaram. Se a paciente possuir predisposição genética e engravidar – principalmente mais de uma vez – é preciso redobrar os cuidados já que os riscos são muito maiores.

Quais os sintomas?

Geralmente, os sintomas das varizes pélvicas se restringem a dor crônica na região da pelve. Contudo, os sintomas podem se estender e incluir:

  • dor na região abdominal;
  • dor durante e após a relação sexual;
  • sensação de peso na região íntima;
  • aumento da menstrução;
  • incontinência urinária.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico das varizes pélvicas pode ser feito por meio da análise do histórico clínico do paciente em conjunto com um exame físico detalhado. Contudo, o diagnóstico de precisão só poderá ser obtido após a realização de exames de imagem específicos. Os mais comuns são:

  • Eco-doppler: permite avaliar a condição das veias na parte inferior do abdômen e verificar se elas são insuficientes para a circulação sanguínea.
  • Angio-tomografia: mostra com exatidão os vasos anormais, detectando a presença de compressões venosas.

Quais são os tratamentos indicados?

O tratamento para qualquer tipo de variz sempre deve ser individualizado e realizado de acordo com o quadro de cada paciente. Contudo, na maioria dos casos de varizes pélvicas, a condição pode ser tratada com medicamentos e hormônios que visam a redução da quantidade de sangue dentro das veias pélvicas.

Se o tratamento medicamentoso não for suficiente, é preciso optar por um procedimento cirúrgico para solucionar o problema. Atualmente, a cirurgia é realizada por um método endovascular, que consiste na colocação de pequenas molas dentro das veias pélvicas problemáticas para bloquear o fornecimento de sangue e aumentar a resistência das paredes das veias.

O procedimento é minimamente invasivo, realizado com anestesia local e possui duração média de 2 horas. No mesmo dia, o paciente recebe alta e pode retornar para casa. Lembre-se de que a cirurgia só deve ser realizada por um profissional habilitado após o correto diagnóstico clínico.

Posso engravidar se tenho varizes pélvicas?

Apesar das varizes não afetarem a fertilidade da mulher e não representar uma dificuldade para engravidar, o problema pode causar muito incômodo durante a relação sexual e se intensificar durante a gestação, apresentando sintomas mais graves e aparentes. Nesses casos, o mais recomendado é realizar o tratamento e só engravidar quando o problema estiver totalmente solucionado.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para assinar nossa newsletter e passe a receber os conteúdos em primeira mão. Basta colocar seu nome e e-mail na caixa da direita de nossa página de blog.

< Voltar

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.


Material escrito por:
Cirurgião vascular - CRM/DF 13.263

Formado em medicina pela Escola de Medicina da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, é especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular periférica, atua no atendimento de pacientes com patologias vasculares diversas. Dedica-se ao tratamento de varizes com laser, aplicações de espuma ecoguiada e ecografia vascular.

 

Você pode se interessar também por: