Orientações e dicas

18/10/2016

Trombose venosa: exercícios colaboram com tratamento

Trombose venosa: exercícios colaboram com tratamento

Geralmente causada pela má circulação do sangue, a trombose venosa ocorre quando um coágulo (chamado trombo) se forma nos vasos que conduzem o sangue até o coração. É a terceira doença vascular mais comum entre a população nos EUA, ficando atrás somente do infarto e do acidente vascular cerebral (AVC).

Os idosos, em especial as mulheres, estão mais propensos a ter trombose venosa profunda. Pessoas com histórico familiar da doença devem redobrar a atenção dedicada à saúde. É fundamental procurar o cirurgião vascular quando os primeiros sintomas começarem a se manifestar, principalmente para evitar complicações mais graves. O correto diagnóstico e tratamento evita o risco de o coágulo ser conduzido pela corrente sanguínea até o pulmão, por exemplo, e causar uma embolia pulmonar, quadro que pode causar a morte se não tratado em tempo hábil.

Sintomas da trombose venosa profunda

O inchaço na perna, que também pode ser causado pelas varizes, é o principal sintoma da trombose venosa profunda. Por isso, as duas doenças podem ser facilmente confundidas e é preciso a avaliação de um especialista em angiologia e cirurgia vascular para confirmar o que está causando o sintoma. Ele saberá diferenciar os sinais do organismo e identificar se estão relacionados à trombose ou às varizes.

O que pode ajudar a distinguir uma doença e outra é a ocorrência do inchaço em somente uma das pernas, acompanhado da sensação de dor e peso, e de veias salientes na perna com edema. Um exame de imagem é capaz de identificar se há um coágulo dentro do vaso sanguíneo e confirmar se os sintomas significam, de fato, trombose.

O coágulo pode se formar por diversos fatores:

  • idade acima de 40 anos;
  • obesidade;
  • varizes;
  • hábito de fumar;
  • ficar sem se movimentar por período prolongado.
  • uso de anticoncepcionais
  • etc

Tratamento inclui exercícios físicos

Casos de trombose venosa profunda são tratados com anticoagulantes. O tratamento pode ser de médio prazo ou feito por toda a vida. O paciente diagnosticado com a doença também deve usar meias elásticas de compressão para reduzir o inchaço e facilitar o retorno venoso do sangue para o coração, além de praticar alguma atividade física.

O sedentarismo é um fator que pode fazer com que uma pessoa propensa realmente desenvolva a trombose ou possibilitar o retorno da doença. Assim, é importante realizar exercícios (sob orientação médica) como caminhadas ou os que movimentam os pés de maneira frequente para ativar a circulação do sangue. Ficar sem se movimentar é prejudicial para o fluxo sanguíneo dos membros inferiores que dependem da contração muscular para permitir que o sangue circule das pernas para o coração sem causar problemas à saúde do sistema venoso.

< Voltar

Você pode se interessar também por: