Orientações e dicas

31/05/2017

Conheça todos os tipos de varizes que existem

Conheça todos os tipos de varizes que existem

Quais tipos de varizes existem? Você já se fez essa pergunta ou ouviu ela de alguém e não soube muito bem a resposta? Provavelmente, você conhece pouco sobre os diferentes tipos de varizes. Isso não é problema. A maior parte das pessoas acredita que varizes é um termo usado para referir-se a uma coisa só, mas não é bem assim.

Há diferentes tipos de varizes e tratamentos específicos para cada um deles. Isso nos leva à outra questão: por muito tempo, a cirurgia era a única maneira de resolver a condição. Por isso, quando se fala em fazer um tratamento para varizes, também há uma tendência em acreditar que será necessário realizar um procedimento cirúrgico para cuidar do problema.

No entanto, os avanços da cirurgia vascular mudaram essa realidade. Hoje, é possível tratar a doença sem nem sair do consultório médico, dependendo do caso.

Mas vamos por partes. Primeiro, é preciso conhecer os tipos de varizes que existem para, depois, compreender melhor as alternativas de tratamento. Então, vamos lá!

Quais são os tipos de varizes que existem?

Existem três tipos de varizes:

1) Varizes tronculares: maior e mais grosso que os demais, esse tipo de variz é responsável pela dilatação de grandes troncos venosos. É muito comum que afete a veia safena e cause complicações como a flebite superficial (inflamação das varizes) e a trombose venosa profunda.

2) Varizes reticulares: são as varizes consideradas de tamanho médio. O fato de serem menores do que as varizes tronculares não significa que não possam gerar complicações. No entanto, em geral, varizes reticulares não representam um grande risco para a saúde.

3) Telangiectasias ou aranhas vasculares: essas varizes são as de aspecto avermelhado. Bem menores que as outras, não representam um grande problema para a saúde vascular, apesar de também afetarem o retorno do sangue para o coração e poderem provocar sensação de peso e cansaço. Elas se assemelham à forma de uma teia de aranha e comprometem mais a aparência do que a saúde. Ainda assim, devem ser tratadas, pois sua existência significa que o sangue não está circulando como deveria pelas pernas.

O tratamento mais adequado para cada um dos tipos de varizes é indicado pelo cirurgião vascular. O médico recomenda a abordagem mais apropriada depois de realizar um exame clínico e, quando for o caso, um de imagem. Em geral, para as telangiectasias, o especialista pode sugerir a escleroterapia. Para as varizes reticulares e tronculares, os tratamentos possíveis são a escleroterapia com espuma densa, guiada por ultrassom, criolaser, crioescleroterapia  e a cirurgia propriamente dita, respectivamente.

< Voltar